AMC, FIESC e TJ/SC firmam convênio para capacitar jovens em casas de acolhimento

A Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e o Tribunal de Justiça (TJ/SC) assinaram o termo de cooperação, que marca o início das atividades do projeto Novos Caminhos em Santa Catarina, com a realização de projeto-piloto em Chapecó e região. O objetivo é capacitar profissionalmente os jovens que, ao completar 18 anos, deixam as casas de acolhimento sem nenhuma perspectiva e inseri-los no mundo do trabalho. O convênio foi firmado durante encontro de integração, promovido pela FIESC, em Chapecó, nesta sexta-feira (30).

m_Convenio_assinado_todos

A iniciativa pretende preencher uma lacuna social. A AMC estima que nos próximos anos centenas de adolescentes, ao atingirem a maioridade, deixarão os abrigos no Estado. No primeiro momento, os jovens serão capacitados profissionalmente de acordo com as afinidades ou aptidões pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), SENAI/SC e SESI/SC, entidades da FIESC.

Para o presidente da AMC, Sérgio Junkes, a capacitação é fundamental. “Sem ela não é possível a pessoa conseguir uma colocação no mercado de trabalho, explorar seus talentos e ter uma vida autônoma. É preciso ter os meios necessários para isso”, salientou. Ele lembra que a intenção é disseminar a iniciativa. “Queremos levar essa possibilidade a todos para que tenham condições de ter qualificação, de estar empregados e de constituírem suas famílias”, completou.

O desembargador do TJ-SC, Sérgio Izidoro Heil, que é coordenador estadual da infância e juventude (CEIJ), afirmou que a ideia é proporcionar aos jovens uma vida adulta com qualidade. “Essas crianças são originárias do abandono da família e da sociedade. Vamos quebrar paradigmas. Fazer algo depende só de nós”, enfatizou. Segundo o desembargador, existem hoje no Estado 1.562 crianças e adolescentes acolhidas nos referidos abrigos, sendo que deste número, 472 são jovens entre 14 e 18 anos que poderão ser atendidos pelo programa (75 deles estão próximos de completar 18 anos). O magistrado sugeriu Joinville como a próxima cidade a ser atendida pelo projeto, solicitação que foi bem recebida pelos representantes da Fiesc.

m_assinatura_AMC

A partir do projeto-piloto será realizado um trabalho junto às indústrias para que deem uma oportunidade aos jovens que estão completando 18 anos. Os jovens que têm entre 16 e 18 anos serão encaminhados para um curso de qualificação para posteriormente ingressar nas indústrias por meio de um programa de estágio.

O desembargador Nelson Juliano Schaefer Martins, que também participou do encontro, enalteceu a iniciativa. “Este projeto descortina uma nova esperança, um novo capítulo na vida dessas crianças”, salientou. De igual modo, o desembargador Ricardo José Roesler, parabenizou as entidades pela tentativa de resgatar e garantir um pouco mais de dignidade aos jovens abrigados. “Sem dúvida, uma belíssima iniciativa, uma realização concreta desta integração entre magistrados e empresários”, frisou.

m_mesa_magistrados

A necessidade de qualificar esses jovens foi levantada durante encontro entre a FIESC e os magistrados realizado em Joinville no mês de abril deste ano. “Cabe a nós fazer a nossa parte, ou seja, realizar a qualificação técnica e a inserção profissional desses jovens no mercado. Conclamo aos industriais e presidentes de sindicatos de indústria para juntos assumirmos essa nobre tarefa. Cada cidadão recuperado significa uma nova família feliz”, ressaltou o vice-presidente da FIESC para a região Oeste, Waldemar Schmitz. O vice-presidente da Federação para o Extremo-Oeste, Astor Kist, disse que a iniciativa vai minimizar o sofrimento desses jovens. “É o mínimo que podemos fazer por eles”, salientou.

m_juizes_regiao

Entre os presentes no evento desta sexta-feira também estiveram presidentes de sindicatos de indústria da região filiados à FIESC, empresários, o prefeito de Chapecó, José Cláudio Caramori, Sérgio Roberto Arruda (SENAI/SC), Daniel Horongoso (SESI/SC), Natalino Uggioni (IEL/SC), Carlos José Kurtz (FIESC), além de juízes que atuam em Chapecó e região.

Deixe uma resposta