Projeto Novos Caminhos recebe nova doação de 10 computadores

Jovens e adolescentes atendidos pelo projeto Novos Caminhos vão receber mais 10 computadores doados pelas empresas Weg, Malwee, Marisol e Adapcon. Na tarde desta segunda-feira (31), representantes do projeto e das empresas se reuniram, virtualmente, para uma cerimônia simbólica de entrega dos computadores. Os equipamentos serão utilizados em casas de acolhimento para auxiliar os jovens com as atividades escolares e profissionalizantes.

A presidente da Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), juíza Jussara Wandscheer, que participou da cerimônia, explica a importância da doação feita pelas empresas. “Esse evento simbólico dá visibilidade ao projeto, que atende 1800 crianças e adolescentes que estão abrigados em SC. Queremos que eles saiam dos abrigos capazes de conquistar próprio sustento, de formar uma família e de ter uma vida digna por meio do trabalho”, acrescenta Jussara. A nova doação será levada às unidades de Guaramirim e Jaraguá do Sul, região onde as empresas atuam.

O responsável pelo abrigo de Jaraguá do Sul, Djonatas Machado, explicou durante o evento que crianças e adolescentes acolhidos utilizam computadores das assistentes sociais e professoras, que levam as atividades escolares até o Lar. “Agora eles vão poder contar com novos equipamentos, que auxiliarão no desenvolvimento educacional de todos”, explica Djonatas.

A coordenadora do Programa Novos Caminhos na comarca de Jaraguá do Sul, juíza Daniela Fernandes Dias Morelli, agradeceu a doação e elogiou a iniciativa das empresas engajadas no projeto, que estão preocupadas em criar uma sociedade mais igualitária. “É inegável que o programa busca mais igualdade para os jovens. Eles vão se profissionalizar e, quando saírem do abrigo, poderão competir no mercado de trabalho com mais igualdade e dignidade”, justifica Daniela.

As instituições que realizaram a doação vão receber o certificado de Empresa Amiga do Projeto Novos Caminhos. Participaram da reunião o presidente do Fiesc, Mário César Aguiar, o vice presidente da Fiesc do Vale do Itapocu, Célio Bayer, a responsável pela Coordenadoria da Infância e Juventude (Ceij), desembargadora Rosane Portella Wolff, a presidente da AMC, juíza Jussara Wandscheer, a coordenadora local do Programa Novos Caminhos, juíza Daniela Fernandes Dias Morelli, a diretora do fórum de Jaraguá do Sul, juíza Graziela Shizuiho Alchini e o promotor de Justiça de Jaraguá do Sul, Marcelo José Zattar Cota.

Também estiverem presentes o presidente da OAB de Jaraguá do Sul, Mário César Felippi Filho, o secretário municipal de assistência social de Jaraguá do Sul, André de Carvalho Ferreira, o diretor de relações institucionais e jurídicas da Fiesc, Carlos José Kurtz, o gerente executivo do SESI Senai do Vale do Itapocu, Jefferson Galdino, o gerente de relações de trabalho da Fiesc, Maria Antônia Amboni e o assessor de responsabilidade social da Fiesc, Sandro Volpato Faria.

Dentre os representantes das empresas, o diretor da Adapcon, Sandro Baher, o gerente de infraestrutura do Grupo Malwee, Luciano André Baramarchi, a analista de recursos humanos da Marisol, Daniela Raquel Vicenzi e o diretor de RH e relações institucionais da Weg, Hilton Faria. Para representar as entidades acolhidas pelo projeto, o coordenador do serviço de acolhimento institucional do Lar da Criança Marcos Valdir Moroso, Djonatas Machado, o supervisor de educação e mercado da coordenadoria de educação profissional no Vale do Itapocu, Tadeu Sabel e a assistente social de Jaraguá do Sul, Ana Paula Fardin Soares.

Além desses, a equipe técnica do programa Novos Caminhos, Andrea Claudia Silva, responsável pelo setor de eventos da AMC, Fernanda de Paula Colombo e Bianca Maria Sebbem Lima, do Ceij, e Rosana Baroin Zimmer, da Fiesc.

O projeto está aberto para receber outras doações para que seja possível equipar os abrigos de todo o estado com computadores e internet de qualidade. A ideia é ampliar o acesso à educação das crianças e adolescentes. 

Conheça o projeto

O Programa Novos Caminhos tem como objetivo ajudar jovens que estão prestes a sair das casas de acolhimento, pelo limite de idade, oferecendo alternativas de qualificação para o mercado de trabalho, por meio de cursos profissionalizantes, além do encaminhamento para vagas de emprego em empresas parceiras do projeto. A ideia é que eles ganhem autonomia e independência financeira para a vida fora dos abrigos.

O projeto é realizado há sete anos, numa parceria entre a Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), a Coordenadoria Estadual da Infância e da Juventude (CEIJ) do Tribunal de Justiça de Santa Catarina e a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC). A iniciativa atende jovens das 200 unidades de casas de acolhimento em todo o estado.

Atualmente, também apoiam o programa a Ordem dos Advogados do Brasil de Santa Catarina (OABSC), o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio), a Associação Catarinense de Medicina (ACM) e a Fundação de Estudos Superiores de Administração e Gerência (FESAG).

Fonte: Imprensa AMC