Novos Caminhos facilita inserção no mercado de trabalho

Opinião é do juiz da Vara da Infância e Juventude de Itajaí que participou nesta segunda-feira (24) de encontro para avaliação do programa na região da Foz do Rio Itajaí; vice-presidente regional da FIESC, Maurício César Pereira, também esteve no encontro.

Florianópolis, 25.9.2018 – A Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC0 e as demais entidades que integram o Programa Novos Caminhos realizaram nesta segunda-feira (24), em Itajaí, reunião para avaliar o programa. No encontro, o juiz da Vara da Infância e Juventude de Itajaí, Fernando Machado Carboni, mostrou preocupação com o futuro desses adolescentes. “O programa é muito importante para que os adolescentes tenham uma profissão e um emprego. E não fiquem desamparados quando atingirem a maioridade e deixarem os serviços de acolhimento”, ressaltou. Os encontros de avaliação do programa já foram realizados nas regiões Extremo-Oeste, Oeste, Sudeste, Litoral Sul, Sul, Planalto Norte, Vale do Itapocu e Vale do Itajaí –Mirim.

Na Região Foz do Rio Itajaí os municípios atendidos são: Balneário Camboriú, Balneário de Piçarras, Bombinhas, Camboripu, Ilhota, Itajaí, Itapema, Luiz Alves, Navegantes, Penha e Porto Belo. A principal finalidade do Programa é qualificar e profissionalizar os adolescentes inseridos em serviços de acolhimento com idade a partir de 14 anos, visando à preparação para a vida autônoma e encaminhamento ao mundo do trabalho.

O vice-presidente regional da FIESC, Maurício César Pereira, falou aos serviços de acolhimento e à equipe técnica local sobre a importância social do programa. “Esses adolescentes não cometeram violação, tiveram sim seus direitos violados. Vamos trabalhar com as empresas para inseri-los no mercado de trabalho”, afirmou.

Ana Paula Amaro da Silveira, diretora da Coordenadoria da Família, Infância e Juventude da Associação dos Magistrados Catarinenses, ressaltou que o Programa pode contribuir com a vida dos adolescentes. “Adolescente precisa de educação, ensinamentos, pois muitos não retornarão as suas famílias. Temos que pensar no projeto de vida para eles”, disse.

A coordenadora estadual do Programa pela FIESC, Bianca Pauletti, apresentou a revitalização do Programa. “Esta é uma oportunidade para que o adolescente tenha uma melhor perspectiva, com o propósito de todas as entidades trabalharem em rede e transformar a vida dele”, frisou.

A iniciativa é resultado da parceria entre a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) com a Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (CEIJ-TJ/SC), a Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SC), o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC), a Associação Catarinense de Medicina (ACM) e Fundação ESAG (FESAG).